Atividade antibacteriana, antifúngica e moduladora da atividade antimicrobiana de frações obtidas de Lygodium venustum SW.

Resumen / abstract: 

O tradicional uso das plantas na medicina popular vem indicando um caminho na busca de agentes farmacológicos. A necessidade de novos fármacos é evidenciada pela acentuada resistência dos microorganismos. A samambaia Lygodium venustum teve neste trabalho seu potencial antimicrobiano avaliado através do método de microdiluição em caldo. Também foi testada a sua capacidade de modular a ação de antibióticos. Foram ensaiadas suas frações hexânica, diclorometano e metanólica obtidas a partir do extrato etanólico das folhas frescas. A Concentração Inibitória Mínima foi avaliada frente às linhagens padrões de Escherichia coli, Staphylococcus aureus, Pseudomonas aeruginosa, Klebsiella pneumoniae, Candida albicans, Candida krusei e Candida tropicalis. Na verificação da atividade moduladora de antibióticos foram utilizadas linhagens multirresistentes de P. aeruginosa, E. coli e S. aureus e as mesmas linhagens fúngicas utilizadas na CIM. As drogas usadas na modulação foram antifúngicos e aminoglicosídeos. Todos os resultados da CIM demonstraram atividade ≥ 1024μg/mL. As frações não potencializaram a ação dos antifúngicos contra as linhagens de Candida, nem dos aminoglicosídeos frente à P. aeruginosa. Porém, interessantes resultados potencializando a ação destes foram obtidos frente à E. coli e S. aureus. Tais resultados sugerem que metabólitos secundários existentes no vegetal poderão ser utilizados para constituição de novas drogas em associação com aminoglicosídeos. Este foi o primeiro relato de atividade modificadora da ação de antibióticos por frações obtidas de uma pteridófita da família Lygodiaceae.

 

Antibacterial, antifungal and antimicrobial modulatory activities of fractions from Lygodium venustum SW.

The traditional use of plants in popular medicine has also indicated the way in the search for pharmacological agents. The need for new drugs is evidenced by the strong resistance of microorganisms. The fern Lygodium venustum had its antimicrobial potential measured, in this work, by the broth microdilution method. Its ability to modulate the action of antibiotics was also tested. Its hexane, dichloromethane and methanol fractions obtained from the ethanolic extract of fresh leaves were assayed. The Minimum Inhibitory Concentration was evaluated from the standard strains of Escherichia coli, Staphylococcus aureus, Pseudomonas aeruginosa, Klebsiella pneumoniae, Candida albicans, Candida tropicalis and Candida krusei. To check the modulating activity of antibiotics were used multi-resistant strains of P. aeruginosa, E. coli and S. aureus and the same yeast strains used in CIM. The drugs used in modulating were antifungal and aminoglycosides. All results showed MIC ≥1024μg/mL activity. The fractions neither enhanced the action of antifungal agents against strains of Candida, nor the aminoglycosides against P. aeruginosa. However, interesting results potentiating the action of these were obtained against the E. coli and S. aureus. Such results suggest that secondary metabolites which are in this plant may be used to create new drugs in combination with aminoglycosides. This was the first report of activity-modifying action of antibiotics for fractions obtained from a fern family Lygodiaceae.

Keywords: Fern, antimicrobial activity, modulation of antibiotics.